domingo, 18 de setembro de 2011

Emily The Strange – Os Dias Perdidos


Emily, The Strange, para quem não sabe, não nasceu nesta década, como protagonista de um livro ilustrado, e sim em 1993, como a personagem responsável pela divulgação de uma série de produtos vinculados a uma grife de skate, que inclui desde elementos de papelaria a figurinos e acessórios.
A irresistível garota gótica, que usa preto da cabeça aos pés, é apaixonada por gatos e música, e adora colecionar atitudes inusitadas, transformou-se velozmente em um símbolo do movimento da contracultura na década de 90. Hoje ela finalmente assume o status de personagem principal de uma série literária ilustrada por seus criadores, Rob Reger e Buzz Parker, da Companhia Cosmic Debris, comunidade artística de San Francisco.
A história é escrita no estilo de um diário, no qual a adolescente de 13 anos conta sua excêntrica trajetória que tem início quando desperta, um belo dia, e simplesmente não se recorda de nada. Sua vida é um buraco negro; ela só tem certeza do seu figurino extravagante, que atrai a atenção de todos nas vias públicas. Afinal, ela só se veste de preto, de cima a baixo!
A garota desperta em uma pequena cidade, sem memória, ao lado de quatro gatos pretos, e não sabe o que faz neste lugar, como foi até lá e nem mesmo seu nome. A partir de então suas aventuras se desenrolam sem cessar, enquanto Emily busca sua identidade, faz novos amigos, depara-se com algumas mentiras e, aos poucos, tem a possibilidade de recordar pequenos detalhes de sua vida.
Emily não é uma garota como outra qualquer; ela é apaixonada por matemática e ciências; skate é o seu esporte predileto e os estilos musicais que mais a atraem são o rock e o punk. Ela é tão impulsiva, principalmente quando se trata de cometer atos extravagantes, que seria capaz de saltar dos prédios mais elevados se este fosse seu desejo.
Outras atitudes inusitadas da protagonista? Tirar uma soneca junto com seus felinos; elaborar velozmente um acelerador de partículas constituído por fios de algodão, lentilhas e alfinetes; criar um mural irado em um sistema de esgoto, entre outras ações estranhas.
O livro é traduzido para o português por Santiago Nazarian, e é apenas o primeiro de uma saga direcionada aos jovens adultos. Logo a protagonista estará também estrelando uma produção cinematográfica produzida pelo criador da Dark Horse, Mike Richardson, e será interpretada por Chloe Moretz, do blockbuster Kick-Ass – Quebrando tudo.









fonte : http://www.infoescola.com/livros/emily-the-strange-os-dias-perdidos/

2 comentários:

Obrigada por comentar!
Sua presença é muito importante para mim, mas não esqueça de ler o post todo antes viu ;) ... e sinta-se a vontade para expressar seus sentimentos '-' mas sem deixar a boa educação de lado (aqui só tem príncipes e princesas educadíssimos!)

Campanha: Comente e deixe a Day-chan feliz ! Seu dedinho não cairá <3