domingo, 1 de agosto de 2010

Gyaru Kei *O*

Lindas, poderosas e glamourosas. Mas que estilo é esse? Gyaru, é claro!

pinkvspink_keikkeditd

Originalmente inspirada em uma marca de jeans, “Gyaru” ou “Gal” é a pronúncia japonesa para “Girl” em inglês, ou Garota(s). Possui muitas vertentes, mas todas estão relacionadas ao glamour e consumismo por vezes em excesso de marcas e últimas tendências da moda.

A moda começou nas ruas de Tokyo em 1991 aproximadamente, e hoje alguns estilos estão quase em extinção. Pode-se dizer é uma forma de vingança contra a sociedade tradicional japonesa, devido ao ressentimento de abandono, isolamento e restrição das mulheres que foram contra os padrões de beleza japoneses, por isso muitas meninas começaram a pintar o cabelo de cores mais claras e a se bronzear, usar saias curtas e exagerar na maquiagem. Compram acessórios caros e chegam a gastar o equivalente a R$1,500,00 em roupas, sapatos e maquiagens. Quando o gasto com o estilo não cabe no orçamento, algumas se prostituem ou aceitam sair com homens mais velhos em troca de presentes. Não é difícil ver meninas de 15 anos com bolsas Louis Vuitton andando por lá.

Quem mora no Japão e costuma visitar bairros como Akihabara, Harajuku, Shinjuku e Shibuya frequentemente vê muito desses e outros estilos. Esta é a tentativa de individualidade, a auto-expressão dos jovens japoneses.

Para identificar cada estilo, deve-se prestar muita atenção aos acessórios, cor da pele, modo de agir, etc.

É um dos estilos maispróximos ao Ocidente, mas por influência da moda japonesa, que dá liberdade para brincar com todo tipo de combinações inusitadas e divertidas, as Gyaru misturam cores, estampas, brilhos e toda uma liberdade que a moda urbana permite, trazendo cara própria e um estilo bem ousado para os padrões Orientais, com seus decotes e saias curtas.
Algumas das principais características do estilo, mas não necessariamente regra, é o bronzeamento artificial, que é inspirado nas californianas, os cabelos loiros, extremo cuidado com maquiagem, penteados e decoração de todos os tipos em acessórios, como unhas e celulares!

Abaixo apenas alguns dos muitos subestilos de Gyaru que existem:

As Kogals (ou Kogyaru – Ko: estudante), Gyarus em idade escolar que são também consideradas as precursoras do estilo.

As OneeGyaru (Onee: mais velha), com estilo mais maduro e sofisticado:


Entre as Gyaru não bronzeadas (ou Ganjiro) existem por exemplo as HimeGyaru (Hime: Princesa), subestilo que remete às princesas ocidentais, com muito luxo e glamour:


Por um outro lado temos as Yamanba (ヤマンバ) e manba (マンバ)

São o extremo da moda ganguro, um "acabei de voltar do Havaí". Yamamba, em japonês, significa "bruxa da montanha". São meninas que se torram de tanto bronzeamento artificial, tingem o cabelo de cores neón, usam batom e sombras brancos, pedrinhas de strass nos olhos, lentes de contato coloridas, acessórios de plástico e roupas muito muito coloridas e quase nunca combinando. Algumas usam animais empalhados como decorações (!) . São consideradas sujas e mal-educadas por falarem gritando. São fúteis como as Hime, mas são muito mais mal-vistas do que elas. Vivem grudadas com um celular (exageradamente decorado) e mandam milhões de mensagens por dia.

Maquiagem yamamba

Manba é a ‘evolução’ do estilo Yamamba. Também são coloridas, os cabelos tendem a ser loiros ou de cores bastante fluorecentes. Não usam os strass abaixo dos olhos e os acessórios havaianos que as Yamambas utilizavam, porém o tom escuro de pele e a maquiagem exagerada em torno dos olhos em outras cores além do branco continuam.

Temos também as B-gals, subestilo voltado ao mundo do Hip Hop:

As HaadyGyaru (Haady: Hard), com inspiração nos anos 80, muitas cores e brilhos:Hippie gyaru

São meninas que se vestem de acordo coma moda hippie dos anos 60. São o mais naturais possíveis, usam roupas largas, coloridas e confortáveis, pouca maquiagem e cabelo ondulado.


Rasuta gyaru

Rasuta é o modo que os japoneses pronunciam 'rasta'. Elas adoram os acessórios e cores jamaicanos, rastas no cabelo, bronzeado, e é claro, o Bob Marley.

Amura

As amuras são as fãs da cantora Namie Amuro, e seguem o seu estilo. Magérrimas, de cabelos compridos com babyliss, minissaias, óculos grandes, botas compridas e de salto altíssimo, como uma modelo, completam o look dessas meninas.

  • Baika/Bozosoku

As baikas são meninas que gostam de usar preto mas preferem hip hop e pop. São 'ratas de academia' e adoram cuidar do corpo. Elas não sem importam com roupas de grifes caras tanto como as oneegyarus, preferindo jeans com casacos pretos estilo hip hop ou blusas curtas. Cabelos em cores preto ou castanho escuro são essenciais.

Gyaru-mama

Acontece até com as gyaru... elas crescem, mudam o seu estilo, e têm filhos...

No Japão as meninas são incentivadas para ter filhos cedo e se possível dois ou mais, como uma tentativa de aumentar a população jovem do país.
É um pouco difícil de imaginarmos essas mulheres com cara e jeito de menininhas, olhos enormes e roupas coloridas sendo mães não é?
Mas diferentemente daqui do Brasil, as gyaru japonesas não viram mulheres descuidadas com a aparência, pelo contrário!

Muitas mamães gyaru não deixam o seu estilo, talvez partam pra um estilo mais suave como Onee gyaru, mas nunca descuidam da aparência, nem da de seus filhos! Existem várias revistas no mercado para as mamães, além das dicas de penteado, maquiagem e roupas, também trazem dicas de decorações para quartos infantis, receitas de comidas para os pimpolhos e novidades de moda para crianças.
A revista mais famosa é a "I love mama" mas temos algumas revistas que estão fazendo edições especiais para mamães como a "Jelly Mama"









Muitas gyaru vêm se tornando mães nesses últimos anos, Rumiringo foi uma das primeiras, e teve até uma sessão na revista "EGG" chamada "Rumi's diary" onde ela contava sobre a sua vida de mãe. Rumi adotou um estilo mais suave de se vestir.




Já Kaoru Watanabe não mudou nada depois da gravidez, continuou sendo uma galaxxxy girl e ainda veste a sua filha Michiru com o mesmo tipo de roupa.



Uma coisa que há em comum com as mães gyaru é que a maioria delas tenta manter um sigilo absoluto do rosto do seu bebê, como muitas celebridades de todas as nacionalidades também fazem, mas inevitavelmente o rostinho deles acaba vindo à tona, devido ao grande número de fãs que essas modelos têm. A modelo Nozomi Tsuji escondeu o rosto de sua filha Noa por muito tempo, até que fotos dela vazaram na internet.




Quem até hoje está conseguindo esconder o rosto do filho é a nossa amada modelo Tsubasa Masuwaka.




Agejo E Kyabajo

Kyabajo significa, literalmente, garotas de cabaré. Elas surgiram aproximadamente no final dos anos 1980, e hoje em dia estão mais modificadas e cada vez mais populares.
As Kyabajo são mulheres entre 20 e 30 anos, que trabalham a noite como hostess nos Kyabakura (cabaret clubs).
Geralmente elas são mães solteiras que não conseguem se sustentar apenas com o trabalho diário ou universitárias que precisam pagar suas mensalidades e então viram acompanhantes de homens mais velhos. As Kyabajo mais populares ganham jóias, bolsas e vestidos caros de seus clientes. Apesar de parecer um trabalho não muito "digno", as kyabajo não se prostituem. Elas são pagas apenas pra acompanhar homens ricos, servindo bebidas e conversando animadamente. Cantadas até podem rolar, mas nunca sexo, e os homens estão proibidos de tocar os seios da mulher e outras partes do corpo. Mas recentemente os estabelecimentos mais parecem permitir isso. Os donos do kyabakuras aconselham as hostess a não terem relações sexuais com os clientes, pois eles poderiam não voltar. Afinal, o Japão é um país com suas tradições.


As Agejo são derivadas das Kyabajo apenas pelo estilo, mas elas não precisam necessariamente ter filhos ou trabalhar em casas noturnas. A moda Agejo surgiu em outubro de 2006 com a inauguração da revista Koakuma Ageha, que atualmente tem uma grande influência em Tokyo, vendendo cerca de 300 mil cópias mensais. As modelos da revista são chamados agejo, uma palavra derivada do título (ageha=borboleta), mais a palavra "jo", que significa mulher jovem. Muitas dessas modelos trabalham em casas noturnas como hostess, e também são conhecidas como "borboletas da noite".


Com a queda de revista que estão à anos no setor (Egg, Ranzuki, Popteen), além do cancelamento de algumas (Ego System, Scawaii, Cawaii e ES Poshh!), Ageha é uma das revistas que mais chamam atenção no Japão por falar com seriedade e simplicidade sobre o estilo de vida das garotas de cabaré, ensinando como elas podem trabalhar com segurança, como ser uma mãe solteira dedicada, como se comportar diante dos clientes além de dicas de maquiagem, penteados e moda.

No início, o público-alvo da revista eram adolescentes que trabalhavam em clubes noturnos ou em balcões de bares. No entanto, a revista ganhou destaque e começou a chamar atenção de mulheres que procuravam novos estilos e visuais atraentes. O ideal do visual Agejo é ter uma pele clara e olhos que aparentam ser maiores com o uso de maquilagem de contorno, sombras, rímel e cílios artificiais. Um dos aspectos mais importantes é o cabelo ondulado. O estilo certamente foi influenciado pela cantora Ayumi Hamasaki, e depois foi se desenvolvendo gradualmente.


As Agejo/Kyabajo geralmente se tornam hostesses porque a noite no Japão garante um salário maior do que um trabalho em escritório, por exemplo. No Japão existem muito mais homens do que mulheres, então os homens ricos pagam ( e muito) para se divertirem. Até homens que não possuem muito dinheiro as vezes gastam todo o salário em algum Kyabakura para afogar suas mágoas na companhia de uma bela garota.
Para essas mulheres, é uma chance de mudarem seu destino, pois o dinheiro vem rápido e fácil, porém há muitas cinderelas para poucos príncipes. Essas jovens desfrutam o sabor da "boa vida" dentro de um tempo limitado. Quanto mais jovens, mais elas são procuradas, então as mulheres com seus 30 anos não tem mais seu espaço garantido no Kyabakura, a não ser que consiga arranjar um homem ali mesmo que as sustente. Para as mulheres japonesas, se hostess é como esperar por um futuro incerto.

Enquanto algumas estrelas hostess desfrutam de fama e altos salários, para a grande maioria, especialmente aqueles que trabalham em Kyabakuras simples, as realidade está longe de ser glamourosa. Embora o trabalho pode pagar relativamente bem, ele vem com uma série de custos, começando por um guarda-roupa elegante e cabeleireiros frequentes (é muito caro manter o penteado de uma Agejo), além de contas de celulares e presentes do Dia dos Namorados para os clientes.

As adolescentes que entram no ramo são totalmente influenciadas por histórias de contos de fadas como a de Eri Momoka, uma mãe solteira que se tornou uma hostess e conseguiu sair da pobreza para uma carreira de televisão de sucesso e sua própria linha de roupas e acessórios.

"Eu freqüentemente recebo e-mails de fãs que são meninas da escola primária, que dizem que querem ser como eu", disse Momoka, 27. "Para uma menina, uma hostess é como uma princesa moderna."

Fonte tirada de http://www.harajukulovers.com.br/

http://lovesickdreams.blogspot.com/

http://tokyofashiongirls.blogspot.com

Um comentário:

  1. ola
    estou fazendo o meu TCC sobre moda japonesa e queria sua ajuda.
    Posso entrevistala?
    me adiciona no orkut
    brbrsharin@gmail.com

    ResponderExcluir

Obrigada por comentar!
Sua presença é muito importante para mim, mas não esqueça de ler o post todo antes viu ;) ... e sinta-se a vontade para expressar seus sentimentos '-' mas sem deixar a boa educação de lado (aqui só tem príncipes e princesas educadíssimos!)

Campanha: Comente e deixe a Day-chan feliz ! Seu dedinho não cairá <3